Notícias

Desde 27 de setembro, um grupo de médicos brasileiros que agora são residentes em neurocirurgia estiveram em Jacksonville, participando de "Técnicas e Tecnologias em Neurocirurgia", um programa que é um esforço colaborativo da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia e Lizzly Neurosurgery, que é parte da Baptist Health.

A maioria do treinamento foi feito no Baptist Medical Center Jacksonville. Mas na semana passada, os residentes passaram algum tempo no laboratório da Medtronic, uma empresa de tecnologia médica que possui um escritório em Southside de Jacksonville. Lá eles praticaram técnicas em manequins de alta tecnologia.

Eles visitaram um laboratório na quinta-feira na Zimmer Biomet, uma empresa de dispositivos médicos que possui um escritório perto do Aeroporto Internacional de Jacksonville. Lá, eles praticaram uma técnica de by-passing num aneurisma cerebral demonstrado por Ricardo Hanel, que é co-diretor médico do Baptist Stroke & Cerebrovascular Center. Mais tarde, eles praticaram a técnica em cabeças de cadáveres.

Para Hanel, proporcionar treinamento a jovens médicos brasileiros foi uma chance de ajudar o país onde ele nasceu e cresceu, obteve seu diploma de medicina, fez seu estágio e residência em neurocirurgia. Depois disso, com bolsas de estudo, foi para a Universidade Estadual de Nova York em Buffalo e no Barrow Neurological Institute no St. Joseph's Hospital em Phoenix, Arizona.

"Nós podemos proporcionar aos jovens neurocirurgiões brasileiros o que está fora do treinamento habitual que eles têm", disse Hanel. "... Se você treinar, você melhora."

Orlando Maia, neurocirurgião da Sociedade Brasileira de Neurocirurgiões, disse que os 12 residentes que participaram do programa foram escolhidos por mérito com base em um teste anual que os brasileiros se submetem.

Enquanto o treinamento no Brasil é bom, a diferença de tecnologia e intensidade é como dia e noite, disse Hanel.

"Provavelmente, cerca de 750 procedimentos neurocirúrgicos  foram realizados no Brasil no ano passado,enquanto isso, eu sozinho faço 750 cirurgias por ano nos EUA", disse ele. Hanel explicou ainda, que as condições nos EUA são muito melhores.

Maia, que falou em português, sendo traduzido por Hanel, disse que os alunos ficaram impressionados com uma maneira de mente muito mais aberta de fazer as coisas entre cuidadores de Jacksonville. "É um ambiente muito mais de camaradagem", disse Hanel em nome de Maia. "No Brasil, é muito mais hierárquico".

"É muito bom estar aqui", disse José Almeida, que recentemente completou sua residência. "Nós vimos muitos procedimentos complexos e muita tecnologia. É interessante ver como funciona o sistema de saúde americano “. "É um ótimo programa", disse Caio Tamnus. "Temos a oportunidade de conhecer o sistema de cuidados em Jacksonville. 

Tivemos a oportunidade de ver o Centro Robótico da Coluna. E os microscópios são melhores aqui“. "Foi uma experiência maravilhosa", disse o residente Renan Lovato. "... Eles têm muito mais tecnologia disponível. Jacksonville também tem algumas opções de alimentos interessantes, disse Lovato."Eu provei a cauda de gato", disse ele. "Eu gostei."

A sexta-feira é o último dia do programa com Eric Sauvageau, co-diretor médico, e Hanel, do Baptist Stroke & Cerebrovascular Center. A programação foi mostrar aos residentes salas de operações no campus do Centro de Baptist.

Hanel disse que planeja fazer um programa similar com um grupo de residentes de neurocirurgia chinesa em março e depois trazer um novo grupo de residentes brasileiros no próximo ano.

 

Traduzido pela jornalista da SNCRJ, Andrea Penna, do The Florida Times-Union - Jacksonville.com

A SBN – Sociedade Brasileira de Neurocirurgia deflagrou a campanha Neuro em Ação 2017, abordando os temas: Mergulho em Água Rasa; Celular e Direção e Postura e Lombalgia!

Do dia 11 a 17 de setembro de 2017, no Rio de Janeiro, com apoio da SNCRJ à campanha, neurocirurgiões, residentes e estudantes de medicina que compõem as Ligas de Neurocirurgia participarão de diversos eventos como aulas em escolas e clubes, e “blitz” em praias. Outras entidades, instituições e órgãos públicos serão convidados a participar desta campanha que visa conscientizar sobre “os perigos de hábitos cotidianos, como o uso do aparelho celular à direção; o mergulho em águas rasas e as más posturas corporais”, diz o texto da SBN. O slogan da campanha é “Use a cabeça! Proteja o seu corpo!”

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) defendeu na segunda-feira (7) mais investimentos em segurança do paciente, ainda vulneráveis a infecções que ocorrem durante o atendimento. Agência participou de seminário internacional sobre o tema em Brasília. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), 10% dos pacientes internados são acometidos por infecções relacionadas à assistência médica. Metade dos casos pode ser evitada com medidas como higiene das mãos e vigilância adequada.

“A adoção dessas ações representa uma ótima relação custo-benefício. Com elas, reduzimos danos, salvamos vidas e temos mais recursos disponíveis para melhorar a saúde da população”, afirmou o coordenador da Unidade de Medicamentos e Tecnologia em Saúde da OPAS no Brasil, Tomás Pippo, durante a abertura do “V Seminário Internacional: redução do risco para a segurança do paciente e qualidade em serviço de saúde”.

Fonte: OPAS/OMS

Este curso é apenas para médicos e acadêmicos de medicina. Os médicos podem se inscrever através do site e os acadêmicos (que devem apresentar comprovação) através do email Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou pelos telefones 3184-7130 a 3184-7137.

Estão abertas as inscrições para o VIII Fórum de Ensino Médico do Conselho Federal de Medicina (CFM), a ser realizado de 5 a 6 de setembro, em Brasília. Entre os temas a serem debatidos estão a proliferação das escolas médicas, as formas de revalidação de diplomas no Brasil e a formação de especialistas. “O foco da nossa atuação é o paciente e quanto mais completa for a formação do médico, melhor será o seu atendimento. Motivo pelo qual o CFM defende, com tanto afinco, a qualidade das escolas médicas e a boa formação profissional”, argumenta o coordenador da Comissão de Ensino Médico do CFM e organizador do VIII Fórum, Lúcio Flávio Gonzaga, professor aposentado da Universidade Federal do Ceará.

2017 08 conselho federal de medicina

Acusações aos médicos desviam a atenção sobre a precariedade da saúde pública, diz presidente do CFM

"Acusações aos médicos brasileiros desviam a atenção sobre a precariedade da saúde pública no país". A declaração foi feita pelo o presidente do CFM, Carlos Vital, em artigo publicado nesta quarta-feira (16) no site Veja.com, ao comentar os três recentes episódios de injustas acusações aos médicos brasileiros, "com forte impacto no seio da classe e grande repercussão na sociedade, por terem como protagonista o ministro da Saúde, Ricardo Barros".

Para o presidente da autarquia, a polêmica frase de efeito de Barros – "Vamos parar de fingir que pagamos os médicos e os médicos têm que parar de fingir que trabalham" – desvia a atenção sobre a precariedade da saúde pública.

O tema também foi tratado em entrevista de Vital à edição brasileira do Huffington Post, hoje uma das mais prestigiadas publicações da internet, presente em 10 países, na qual aponta uma série de precariedades na saúde pública, desde a má gestão ao sistema que favorece trocas políticas e interesses eleitorais. "Essa capacidade de moedas de troca por interesses políticos, eleitoreiros e outros mais tem que acabar porque nós não podemos ter gestão de saúde feita com pessoas que não estão preparadas para essa gestão", afirmou.

Para o CFM, medidas adotadas pelo governo de Michel Temer como a terceirização irrestrita e a ampliação da atuação dos planos de saúde fragilizam ainda mais o sistema público de saúde. "O Estado não quer mais cuidar da saúde", afirma Vital.

Ao comentar a atual gestão do Ministério da Saúde, Vital expõe: "[Com os antigos ministros], nós nos sentíamos como vítimas de um engodo. Com o [atual] ministro, nós nos sentimos, às vezes, vítimas de agressão".

Fonte: CFM

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) determinou a suspensão da comercialização de 38 planos de saúde de 14 operadoras em função de reclamações relativas à cobertura assistencial, como negativas e demora no atendimento, recebidas no 1º trimestre de 2017. A medida entra em vigor no dia 09/06, e faz parte do monitoramento periódico realizado pela ANS pelo Programa de Monitoramento da Garantia de Atendimento.

Mais informações no link
http://www.ans.gov.br/aans/not icias-ans/sobre-a-ans/3932-ans -determina-suspensao-da-venda- de-38-planos-de-saude

Fonte: ANS

Anvisa publica informações sobre os itens de saúde regularizados e registrados pelo órgão

Veja no link http://www.brasil.gov.br/saude /2017/07/banco-de-produtos- medicos-registrados-reforca- transparencia

Fonte: Ministério da Saúde

Na semana de 28 de agosto à 1˚ de setembro de 2017 acontece o evento Neuro em Ação. A iniciativa da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia (SBN) tem o intuito de conscientizar a população quanto aos perigos dos hábitos maléficos cotidianos, como o uso do aparelho celular ao volante, o mergulho em águas rasas e as más posturas corporais. O slogan da campanha reflete a importância da campanha: “Use a cabeça, proteja seu corpo”.

Topo